quem faz

Nasceu em 1993, trocou São Paulo por Buenos Aires, mas jura que não trocou o Corinthians pelo Racing Club, sofre de crise patológica de riso (diagnosticada pelo Google), toca numa banda hc/punk que ninguém conhece, acha estranho escrever na 3ª pessoa e vive fazendo planos: médio, americano, close, etc.

Criou este blog para falar de amor, cotidiano, punk, feminismo, piadas ruins, cinema cabeça, cinema blockbuster do Michael Bay (spoiler: vai ter explosão porque sempre tem), problematizações chiques, desigualdade no mercado de trabalho, demanda internacional de açaí, posições sexuais pouco ortopédicas, terno para entrevista, terno para velório, catuaba por menos de 10 mangos, calcinha bege. Ah, e política também.

Segue ela no Instagramno Face ou chama no probleminha.